quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Alva Noto feat. Anne-James Chaton - "uni acronym"

Nestes últimos dias, soam umas vozes muito altas, vindo de duas campanhas, mas a única coisa que dá para entender do que falam é isso:


"uni acronym" (2011), poema verbivocovisual
- colaboração entre Alva Noto e o poeta sonoro francês Anne-James Chaton



.
.
.

quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

A tradição poética basca conhecida como Bertsolaritza




Bertsolaritza é uma tradição poética oral do povo basco. Canção ou também desafio entre poetas orais, chamados bertsolaris, a tradição se assemelha ao repente brasileiro. Extremamente popular no País Basco, demonstra a saúde contemporânea da tradição oral e da poesia em geral em tantas partes do mundo.

Uma das formas mais comuns é o zortziko txiki, ou "pequeno de oito", com a primeira linha formada por oito sílabas, seguida de uma linha de sete sílabas. Este par de linhas ou versos é chamado de puntu, quatro deles formando uma estrofe. Outro, o zortziko handi ou "grande de oito", é formado por pares de 10 e 8 sílabas. Um dos mais conhecidos e um dos primeiros registrados foi Pernando Amezketarra (1764 - 1823). Outro bertsolari famoso foi Jose Manuel Lujanbio Retegi (1860 - 1936), conhecido como Txirrita.

Txirrita (1860 - 1936)

Um conhecido bertsolari contemporâneo, surgido nos anos 90, é Andoni Egaña (n. 1961). Por muitos anos uma tradição masculina, no novo século passou a ser praticada também por mulheres, uma das mais famosas sendo Maialen Lujanbio, a primeira a ganhar uma competição.

Maialen Lujanbio (n. 1976)

Os bertsos podem tanto ser satíricos, eróticos como políticos, como foi o caso da série conhecida como "Muñagorriren bertsoak", ou "Bertsos de Muñagorri", lançada pela facção de José Antonio Muñagorri em 1838, durante a Primeira Guerra Carlista, numa tentativa de terminar o conflito.

Encontrei este exemplo, a primeira estrofe do bertso "Aitorren Izkuntz Zarra", do bertsolari Z. Andonegi:

Aitorren izkuntz zarra
nai degu zabaldu
munduaren aurrean
gizonki azaldu
baldin gure zainetan
odolik badegu
euskaldunak euskeraz
itz egin bear degu.

Uma tradução livre seria (com auxílio da tradução para o inglês):

Velha língua de Aitor
queremos espalhar
perante o mundo todo
corajosos a cantar
enquanto nossas veias
sangue possuírem
nós bascos em basco
hemos de falar

(N.: Aitor é o mítico patriarca dos bascos)

Após ganhar a competição em 2009, Maialen Lujanbio cantou esta Txapeldunaren Agurra, ou "Despedida do Vencedor", que escolhemos para encerrar.



.
.
.



segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Ella Fitzgerald (1917 — 1996)

Só voz e nonsense: a técnica do scat singing, do qual Ella Fitzgerald se fez mestra.



O scat singing já foi unido por estudiosos da tradição oral a várias práticas, comoport a beul escocês ou o canto gutural mongol. Nós o ligaríamos ainda à poesia fonética dadaísta e ao zaoum russo. Voz e nonsense. 


.
.
.

sábado, 18 de Outubro de 2014

Bem-te-vi de Pernambuco & Passarinho de Alagoas



Bem-te-vi de Pernambuco & Passarinho de Alagoas são grandes representantes da embolada, pertencendo não só ao melhor da tradição oral brasileira, como as emboladas acima são exemplo ainda de nossa tradição satírica, algo que o país produz em generosa quantidade, ainda que os santíssimos enfants terribles de cinquenta anos estejam poundificados demais para ouvir. Será que não tivemos dadaísmo porque não precisávamos? Porque já tínhamos Qorpo-Santo, Sapateiro Silva e, no século XX, Bem-te-vi de Pernambuco & Passarinho de Alagoas? Uma possibilidade. Por nossa conta e risco, seguimos ouvindo vozes.


.
.
.



quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

Vladimir Martynov em composição sobre poema de Velimir Khlebnikov



O compositor russo Vladimir Martynov (Moscou, 1946) em composição vocal sobre poema de Velimir Khlebnikov (1885 - 1922). Só voz e nonsense até 27 de outubro. Zaoum!


Velimir Khlebnikov (1885 - 1922)

.
.
.

quarta-feira, 15 de Outubro de 2014

Gil J. Wolman - "Trits"

Só voz e nonsense até 27 de outubro.



Gil J. Wolman (1929 – 1995) foi um poeta, cineasta e artista visual francês, ligado ao movimento dos Letristas, da Internacional Letrista e mais tarde da Internacional Situacionista, dos quais seria invariavelmente expulso. Um favorito aqui da casa. Leia mais sobre ele na postagem dedicada a seu trabalho aqui na Modo.


.
.
.

terça-feira, 14 de Outubro de 2014

Yãmîy yõg Mõgmõka (Canto Maxakali)

Voz, só voz até 27 de outubro, voz para ouvidos moucos.



Yãmîy yõg Mõgmõka (Canto do Gavião)

hox hax moh

xônnênãg ita
xônnênãg ita
kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

xônnênãg ita
xônnênãg ita
kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

xônnênãg ita
xônnênãg ita
kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

xônnênãg ita
xônnênãg ita
kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

hoix hax yaahi
hiya a a ah iih
hi ah iaaiiiih

xônnênãg ita
xônnênãg ita
kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

xônnênãg ita
xônnênãg ita
kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

hox hax moh



Versão minha, trabalhada a partir da tradução de Charles Bicalho.

hox hax moh

em pé o pai do filho
em pé o pai do filho
a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

em pé o pai do filho
em pé o pai do filho
a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

em pé o pai do filho
em pé o pai do filho
a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

em pé o pai do filho
em pé o pai do filho
a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

hoix hax yaahi
hiya a a ah iih
hi ah iaaiiiih

em pé o pai do filho
em pé o pai do filho
a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

em pé o pai do filho
em pé o pai do filho
a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

hox hax mo

§

Tradução de Charles Bicalho:

hox hax moh

o pai do filhinho está em pé
o pai do filhinho está em pé
com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

o pai do filhinho está em pé
o pai do filhinho está em pé
com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

o pai do filhinho está em pé
o pai do filhinho está em pé
com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

o pai do filhinho está em pé
o pai do filhinho está em pé
com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

hoix hax yaahi
hiya a a ah iih
hi ah iaaiiiih

o pai do filhinho está em pé
o pai do filhinho está em pé
com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

o pai do filhinho está em pé
o pai do filhinho está em pé
com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

hox hax mo

§

Mais sobre a poética dos Maxakali aqui na Modo de Usar & Co.

.
.
.