segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Ella Fitzgerald (1917 — 1996)

Só voz e nonsense: a técnica do scat singing, do qual Ella Fitzgerald se fez mestra.



O scat singing já foi unido por estudiosos da tradição oral a várias práticas, comoport a beul escocês ou o canto gutural mongol. Nós o ligaríamos ainda à poesia fonética dadaísta e ao zaoum russo. Voz e nonsense. 


.
.
.

sábado, 18 de Outubro de 2014

Bem-te-vi de Pernambuco & Passarinho de Alagoas



Bem-te-vi de Pernambuco & Passarinho de Alagoas são grandes representantes da embolada, pertencendo não só ao melhor da tradição oral brasileira, como as emboladas acima são exemplo ainda de nossa tradição satírica, algo que o país produz em generosa quantidade, ainda que os santíssimos enfants terribles de cinquenta anos estejam poundificados demais para ouvir. Será que não tivemos dadaísmo porque não precisávamos? Porque já tínhamos Qorpo-Santo, Sapateiro Silva e, no século XX, Bem-te-vi de Pernambuco & Passarinho de Alagoas? Uma possibilidade. Por nossa conta e risco, seguimos ouvindo vozes.


.
.
.



quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

Vladimir Martynov em composição sobre poema de Velimir Khlebnikov



O compositor russo Vladimir Martynov (Moscou, 1946) em composição vocal sobre poema de Velimir Khlebnikov (1885 - 1922). Só voz e nonsense até 27 de outubro. Zaoum!


Velimir Khlebnikov (1885 - 1922)

.
.
.

quarta-feira, 15 de Outubro de 2014

Gil J. Wolman - "Trits"

Só voz e nonsense até 27 de outubro.



Gil J. Wolman (1929 – 1995) foi um poeta, cineasta e artista visual francês, ligado ao movimento dos Letristas, da Internacional Letrista e mais tarde da Internacional Situacionista, dos quais seria invariavelmente expulso. Um favorito aqui da casa. Leia mais sobre ele na postagem dedicada a seu trabalho aqui na Modo.


.
.
.

terça-feira, 14 de Outubro de 2014

Yãmîy yõg Mõgmõka (Canto Maxakali)

Voz, só voz até 27 de outubro, voz para ouvidos moucos.



Yãmîy yõg Mõgmõka (Canto do Gavião)

hox hax moh

xônnênãg ita
xônnênãg ita
kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

xônnênãg ita
xônnênãg ita
kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

xônnênãg ita
xônnênãg ita
kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

xônnênãg ita
xônnênãg ita
kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

hoix hax yaahi
hiya a a ah iih
hi ah iaaiiiih

xônnênãg ita
xônnênãg ita
kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

xônnênãg ita
xônnênãg ita
kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

kãyã ta kã xîp
kãyã ta kã xîp

hox hax moh



Versão minha, trabalhada a partir da tradução de Charles Bicalho.

hox hax moh

em pé o pai do filho
em pé o pai do filho
a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

em pé o pai do filho
em pé o pai do filho
a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

em pé o pai do filho
em pé o pai do filho
a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

em pé o pai do filho
em pé o pai do filho
a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

hoix hax yaahi
hiya a a ah iih
hi ah iaaiiiih

em pé o pai do filho
em pé o pai do filho
a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

em pé o pai do filho
em pé o pai do filho
a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

a cobra nos ombros
a cobra nos ombros

hox hax mo

§

Tradução de Charles Bicalho:

hox hax moh

o pai do filhinho está em pé
o pai do filhinho está em pé
com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

o pai do filhinho está em pé
o pai do filhinho está em pé
com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

o pai do filhinho está em pé
o pai do filhinho está em pé
com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

o pai do filhinho está em pé
o pai do filhinho está em pé
com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

hoix hax yaahi
hiya a a ah iih
hi ah iaaiiiih

o pai do filhinho está em pé
o pai do filhinho está em pé
com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

o pai do filhinho está em pé
o pai do filhinho está em pé
com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

com a cobra no pescoço/ombro
com a cobra no pescoço/ombro

hox hax mo

§

Mais sobre a poética dos Maxakali aqui na Modo de Usar & Co.

.
.
.

segunda-feira, 13 de Outubro de 2014

Hermeto Pascoal - "Quebrando Tudo"



Só voz e nonsense até 27 de outubro. Hoje, esta incrível peça de Hermeto Pascoal, que logra ser, ao mesmo tempo, poesia vocal, sonora, do nonsense, dadaísta. Língua que quebra tudo.


Hermeto Pascoal dispensa apresentações, mas é sempre um mantra repetir o nome do município onde nasceu: Hermeto Pascoal nasceu em Olho d'Água das Flores e Olho d'Água das Flores fica em Alagoas, em 1936 foi que Hermeto Pascoal nasceu em Olho d'Água das Flores. Olho d'Água das Flores.

.
.
.

domingo, 12 de Outubro de 2014

Diamanda Galás



Só voz e nonsense até 27 de outubro. Enquanto dois lados da trincheira de uma guerra que recusamos nos ameaçam com o apocalipse, sabemos que o mundo já acabou muitas vezes, para muitos, o mundo, em suma, acaba. Diamanda Galás e sua "Exeloyme", ao vivo, em 1986. Uma missa às avessas para vosso domingo.


Diamanda Galás é uma artista vocal e compositora norte-americana, de ascendência grega, nascida em San Diego, na Califórnia, em 1955. Colaborou com compositores como Iannis Xenakis, Vinko Globokar e John Zorn, e foi ainda uma importantíssima ativista contra a epidemia da AIDS nos anos 80, contra o completo abandono sofrido pela comunidade homossexual por um governo cínico. O irmão de Galás viria a morrer durante a praga.



Já musicou e vocalizou textos de Kaváfis, Pasolini, Lorca, entre outros poetas. Abaixo, sua vocalização para "Supplica a mia madre", de Pasolini.
  
 

Sua discografia inclui The Litanies of Satan (1982), The Divine Punishment (1986), Saint of the Pit (1986), You Must Be Certain of the Devil (1988), Vena Cava (1993), Defixiones, Will and Testament (2003) e Guilty Guilty Guilty (2008). É uma das mais importantes artistas vocais vivas hoje. É uma das mestras favoritas aqui da casa.


OUTROS POEMAS VOCAIS DE DIAMANDA GALÁS



§



§



§
 
.

.
.